A polidez de Wes Anderson no Grande Hotel Budapeste

Wes Anderson gosta de contar histórias com contextos elaborados e em lugares exóticos. Ele cria personagens, quase todos excêntricos, e se diverte com as relações malucas e necessárias dessas pessoas imaginadas. Apesar da aparente falta de objetividade, seus filmes normalmente querem comprovar uma ideia, um preceito simples. O cineasta tenta transmitir um conceito moral costurando…