O pequeno fantasma, da série Meus Medinhos

Onde você acha que nascem os fantasmas? Foi a partir dessa pergunta que os autores Pedro Bandeira e Carlos Edgard Herrero criaram o livro ilustrado O pequeno fantasma, publicado pela editora Moderna. A obra faz parte da série “Meus medinhos”, coletânea que propõe ajudar crianças em fase de alfabetização a lidar com seus temores. Em…

Balas Contadas, de Hiram Miller

O Cabruuum esteve em Belo Horizonte, no Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ 2018), representado pela Paula e pelo Victor. Lá, além do contato mais próximo com os artistas, há também um contato maior com os quadrinhos. E foi assim que Balas Contadas, de Hiram Miller veio parar nas minhas mãos. Minha relação com faroeste – o…

A polidez de Wes Anderson no Grande Hotel Budapeste

Wes Anderson gosta de contar histórias com contextos elaborados e em lugares exóticos. Ele cria personagens, quase todos excêntricos, e se diverte com as relações malucas e necessárias dessas pessoas imaginadas. Apesar da aparente falta de objetividade, seus filmes normalmente querem comprovar uma ideia, um preceito simples. O cineasta tenta transmitir um conceito moral costurando…

Não era você que eu esperava – Fabien Toulmé

A HQ foi muito mais do que eu esperava. Em fevereiro, no dia 14, comemoramos o Dia da Amizade. Nesse dia, entre tantos pensamentos, refleti o quanto o mundo tem sido hostil com todos aqueles que são vistos como diferentes. Desses pensamentos, trago para vocês um quadrinho que fala sobre pessoas reais e traz à…

“Brasilis”: A história do Brasil revista com outros olhos

O jornalista e escritor Eduardo Bueno mostra a riqueza da nossa história na coleção “Brasilis”. Os dois primeiros exemplares da coleção “A viagem do descobrimento” e “Náufragos, traficantes e degredados” são ricos em detalhes e comprovam que a história brasileira começou muito antes do desembarque de Pedro Álvares Cabral em suas caravelas, e que os…

O poder de Akira

CABRUUUM CONVIDA: MiojoGeek Eu devia ter uns oito anos quando Akira, de Katsuhiro Otomo, chegou à locadora do meu bairro. Lembro-me de assistir e achar irado, apesar de não ter entendido muito bem a trama. O que importava para o pequeno Orlando, era a qualidade da animação, as motos, explosões… Foi o primeiro longa-metragem japonês…