O poder de Akira

CABRUUUM CONVIDA: MiojoGeek Eu devia ter uns oito anos quando Akira, de Katsuhiro Otomo, chegou à locadora do meu bairro. Lembro-me de assistir e achar irado, apesar de não ter entendido muito bem a trama. O que importava para o pequeno Orlando, era a qualidade da animação, as motos, explosões... Foi o primeiro longa-metragem japonês... Continuar Lendo →

A história do refugiado “multiversonauta”

Mustakshaf Maezul é título da HQ de ficção científica de Luiz Felipe L. Valsani. Ele fez a arte e os textos dessa obra que é curtinha, tem 28 páginas, contando capa e contracapa. O enredo (sem muitos spoilers) é sobre um refugiado que acaba se tornando um “multiversonauta”, isto é, um viajante de multiversos. A... Continuar Lendo →

Clube de Leitura de Jane Austen

Acredito que qualquer resenha sobre os livros de Jane Austen deveria começar com a seguinte citação: “É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro possuidor de uma grande fortuna deve estar em busca de uma esposa”,  de Orgulho e Preconceito. Não por ser minha obra preferida, mas porque ela nos oferece o pontapé inicial... Continuar Lendo →

Mangá e Brasil: uma paixão sem fronteiras

Você já pensou nisso? "Meus sete deuses lendários japoneses, como que o brasileiro teve acesso ao mangá?" Se já pensou nisso e não teve uma resposta que te deixou satisfeito(a), nós conversamos com ótimas fontes com bastante conhecimento sobre essa arte linda e com características tão marcantes. Minhas referências nipônicas Como faço parte de toda uma... Continuar Lendo →

Para conhecer o Justiceiro

Sim! Ennis e Dillon (de Preacher) estão juntos nesta empreitada para fazer o que fazem de melhor: nos entreter e chocar ao mesmo tempo. E ainda nos deixar agradecidos por isso! Diferente da história de Jesse Custer, aqui não temos nenhum questionamento moral ou filosófico do porquê as coisas são como são (ou estão). Seria... Continuar Lendo →

Rita Linda Louca Lee e a autobiografia

Sempre reconheci a importância da Rita Lee no cenário musical brasileiro. No entanto, suas canções dificilmente entravam na minha playlist. Depois de conhecer sua história de vida e, o melhor, por suas próprias palavras em Rita Lee - Uma Autobiografia, confesso que “Obrigado Não”, “Lança Perfume”, “Amor e Sexo”, “Ovelha Negra” e “Reza” começaram a... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑