Série “Memories” mistura épocas e transforma fragmentos em memórias

Você começa a sua experiência de leitura em 1966, volta para 1915, passa por 1815 e se vê em 2012. Não necessariamente nessa ordem. Esse ritmo dinâmico acompanha o leitor durante os quatro volumes de Memories, série de quadrinhos independentes da autora brasileira Talessa Kuguimiya.

E, para deixar tudo mais intrigante, a história reúne acontecimentos vividos por três garotos, mas de épocas diferentes (dentre as mencionadas ali em cima). Durante a narrativa, a quadrinista buscou pontos em comum para que as histórias se intercalassem e se interligassem, transformando os fragmentos de cada um dos protagonistas em memórias.

Cada mudança temporal funciona como capítulos, agindo como uma quebra na sequência lógica do leitor. A transição fica perceptível também nos traços de Talessa, na intensidade dos tons escuros nos cenários e nos detalhes dos personagens.

Ao folhear Memories, você encontra cenas cômicas (geralmente com referências aos mangás), tristes e de terror também. Há passagens duras, por exemplo, que se passam no período da Revolução Industrial e da Primeira Guerra Mundial que são de encher os olhos.

Memories_Talessak_Cabruuum
crédito: talessak.com

 

Memories_Talessak_Cabruuum
crédito: talessak.com

Minhas memórias e o que ficou

Não só o desenho de Talessa, mas a publicação como um todo, atinge uma maturidade no volume final. Enquanto estive imerso em Memories #1, alguns errinhos de digitação nos balões fizeram com que eu saísse da história por vezes e, infelizmente, interferiram em minha experiência. Esses deslizes quase não existem nas publicações seguintes.

Aqui vale destacar novamente que estamos falando de uma publicação independente. Ou seja, muitas vezes a mesma pessoa constrói roteiro, escreve, revisa, desenha, imprime, entre outros malabarismos que fogem de sua especialidade.

O volume 1 foi lançado em 2016, os números 2 e 3 saíram em 2017 e o final, em 2018. O colorido de cada capa facilita a identificação dos volumes e os recortes dos desenhos escolhidos para estampá-las são instigantes. No miolo, são várias as páginas que poderiam facilmente estar em uma moldura.

Memories_Talessak_Cabruuum
crédito: talessak.com

Adquiri os quatro volumes ao mesmo tempo, em abril de 2018, durante o Festival Guia dos Quadrinhos, em São Paulo. Acredito que essa aquisição completa foi certeira, pois apenas uma edição parece pouco para captar a ligação entre as histórias.

No evento, a quadrinista passou o teaser da trama e contou que tinha acabado de lançar um porta-livros incrível, todo personalizado, para acomodar a coleção. Quem bate o olho no produto já imagina como ficaria sensacional na mesa ou na estante. Comigo foi automático!

Memories (1)

Memories oferece sensações diferentes daquilo que é comum para o leitor, deixando em nossas mãos o tempo de encaixe das peças, exigindo ou não uma releitura (eu tive que reler). Talessa faz uma boa reflexão sobre memórias. Mais do que isso, sobre o que fazemos delas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s